Como atrair clientes: 18 dicas para o seu negócio

Entenda como atrair clientes para sua marca com 18 dicas para aumentar suas vendas a partir de hoje.

Uma etapa essencial da estratégia de qualquer negócio é saber como atrair clientes. Para isso, é preciso se fazer algumas perguntas, como: quem é seu público-alvo? De qual forma você pode alcançá-lo? E, principalmente, como disputar a atenção dessas pessoas diante da concorrência?

De acordo com o relatório State of Marketing 2021, da Salesforce Research, que pesquisa sobre os principais desafios enfrentados pelos profissionais do setor de marketing, o mundo dos negócios vem se transformando em escala e velocidade sem precedentes. 

De 8.200 profissionais pesquisados, 80% afirmam que a experiência do cliente se tornou o principal diferencial competitivo das empresas. E 72% diz que atender às expectativas do cliente está mais difícil do que há um ano atrás.

A internet continua sendo a melhor vitrine para expandir o alcance de uma marca e conquistar novos consumidores, mas o mercado online nunca esteve tão competitivo. 

Uma pesquisa realizada pelo eMarketer prevê um aumento considerável do valor investido mundialmente em anúncios digitais nos próximos anos.

relatorio-gastos-ads
Previsão de investimento em anúncios digitais até 2024.


Segundo o relatório, o total de gastos em ads deve aumentar de cerca de US$455 bilhões neste ano para mais de US$645 bilhões em 2024. Por isso, nunca foi tão importante para empresas conseguirem elaborar soluções criativas que as façam se destacar e conquistar seus objetivos, como atrair clientes.

A retenção de clientes é uma taxa importante que precisa ser monitorada constantemente por gestores de qualquer tipo de negócio. Assim, é possível pensar em maneiras de estreitar cada vez mais o relacionamento entre marca e consumidores por meio de táticas de fidelização.

Neste artigo, selecionamos 18 estratégias e boas práticas do marketing digital para ajudar você a alcançar seu público.

18 dicas de como atrair clientes

Não deixe de acompanhar todos os tópicos a seguir para reunir as melhores estratégias e entender como atrair mais clientes para sua empresa. Boa leitura!

1. Identifique o seu público-alvo

Você já sabe quem a sua marca deseja alcançar?

Entender quem é seu público-alvo é essencial não só para adaptar seu produto ou serviço às necessidades dele, como também para personalizar a comunicação entre a marca e o possível cliente.

Uma estratégia muito utilizada para inserir novas pessoas no funil de vendas é a criação de personas, que nada mais são do que personagens fictícias — criados com base em dados reais dos seus consumidores — que ajudam a empresa a conhecer mais profundamente o perfil de seu público.

Entre as informações que você pode atribuir a ela, estão:

  • nome da persona;
  • idade;
  • profissão e metas de carreira;
  • status de relacionamento e família;
  • hobbies e interesses;
  • local onde vive;
  • o que a deixa feliz;
  • o que a aborrece.


Então, com o perfil desse possível comprador em mente, o time de marketing pode elaborar estratégias de comunicação personalizadas e mais eficientes.

Como é o dia a dia dessa persona e de que forma seu serviço pode facilitar ou agregar valor à rotina dela? Como você pode comunicar sua solução para ela? Sua persona está nas redes sociais? Se sim, em quais?

Para descobrir essas informações, você pode falar diretamente com os seus clientes atuais ou com aqueles que mais compram em sua loja. Monte um questionário simples abrangendo essas questões e envie através dos canais que você já utiliza para se comunicar com eles.

Vale destacar que público-alvo e persona não são sinônimos, mas se complementam. O público-alvo é uma visão mais ampla sobre o perfil dos seus clientes, enquanto a persona busca ser mais específica.

Veja também: Comportamento do consumidor: tendências e como estudá-lo

2. Elabore uma comunicação consistente

Toda a estratégia de comunicação deve se alinhar à identidade da marca e a uma linguagem que se comunique de forma eficaz com o público.

Uma comunicação bem definida e personalizada pode ajudar a empresa a atrair clientes que consigam se identificar com os valores e a solução ofertada

Ela deve ser aplicada de maneira uniforme pelos canais da marca: redes sociais, e-mail, atendimento ao cliente, newsletters, blog, etc.

É o que faz a brasileira Sallve, marca de produtos para a pele fundada pela empresária e influenciadora Julia Petit. Todas as ações de comunicação da empresa guardam um tom descontraído e direto típico da marca, que é nativa do digital. A criação de unidade na comunicação permite uma identificação da marca em qualquer ponto de contato com o consumidor.

exemplo-sallve
Site da Sallve
Campanha promocional da Sallve
Feed do Instragram da Sallve


 “A Sallve veio em um período em que as pessoas querem que as marcas de skincare se comuniquem de maneira diferente com elas”, contou Julia ao portal Metrópoles. “A partir do momento que falamos de um modo aberto e simples, elas se sentiram atraídas. Não tenho fãs, mas amigos.”

3. Esteja presente na internet

Uma pesquisa realizada pela Google com consumidores revelou que 82% deles pesquisam na internet antes de decidir comprar em uma loja e 51% disseram já ter descoberto um novo produto ou uma nova marca por meio da busca online.

É por isso que ter uma presença digital já não é mais um diferencial, mas uma obrigação de qualquer empresa que busca se destacar frente à concorrência e alcançar seus objetivos.

Faça sua marca ser vista pelo maior número de pessoas e invista em estratégias como o marketing de conteúdo e nas recompensas digitais

Mesmo que não venda seus produtos e serviços no online, você pode atrair novos consumidores por meio de postagens nas redes sociais, por exemplo.

Leia também: Descubra as vantagens de usar marketing de comportamento

4. Explore o marketing de conteúdo

O marketing de conteúdo se trata de um conjunto de estratégias para atrair clientes por meio da promoção de conteúdos relevantes, que podem ser posts no blog da empresa, vídeos publicados no YouTube, podcasts ou materiais ricos, como e-books, checklists e planilhas prontas.

A ideia central por trás dessa tática é solucionar possíveis problemas ou dúvidas do usuário enquanto estabelece uma ligação entre esses conteúdos e sua marca

Por exemplo: uma franquia de farmácias deseja atrair novos clientes para sua loja online. Ela pode criar um blog da empresa onde publica artigos relacionados à saúde, como um texto sobre os benefícios da vitamina C. Assim, pode incentivar o leitor interessado pelo assunto a comprar comprimidos de vitamina C em sua loja.

Mesmo que você não trabalhe conteúdos almejando a conversão direta de possíveis clientes, uma vez que um usuário solucionar uma dúvida com a ajuda da sua marca, pode se lembrar dela em uma próxima vez. Assim, aos poucos, ela vai se tornando uma referência em informações sobre o assunto que explora.

O marketing de conteúdo está diretamente ligado às técnicas de SEO.

5. Faça bom uso das redes sociais

Cerca de 56% da população mundial usa as redes sociais. Essa porcentagem corresponde a mais de 4,5 bilhões de pessoas que não só compartilham seu dia a dia entre si, como também se conectam com marcas de todo o globo.

Quando utilizadas de forma estratégica, as redes sociais podem ser canais muito importantes para atrair clientes e, também, nutrir o relacionamento com quem já conhece sua marca

Seja qual for seu objetivo (conversão, aumento das vendas, brand awareness, formação de uma comunidade online), essas plataformas oferecem funcionalidades para alcançá-lo.

Tanto o Instagram quanto o Facebook, que pertencem à mesma empresa, têm uma plataforma pensada para quem empreende e pretende expandir sua presença online, em que é possível mapear informações sobre o perfil dos seguidores da marca e criar campanhas de anúncios para um público segmentado.

Outras redes, como o LinkedIn, são pensadas para o mundo corporativo e podem ajudar sua marca a divulgar seus valores e fazer conexões com pessoas que se identifiquem com eles.

Já o TikTok e o Kwai surgiram para consolidar um novo formato de conteúdo: vídeos curtos, objetivos e verticais. Oferecem ainda a possibilidade de editar, publicar e circular vídeos em um feed que parece infinito. 

Com uma variedade muito grande de efeitos visuais e sonoros, a edição simples e intuitiva é um dos grandes diferenciais dessas plataformas.

6. Invista em mídia paga

A mídia paga consiste no investimento em anúncios que são veiculados pela internet. Os principais canais de mídia paga são:

  • Google Ads: posiciona o anúncio entre as primeiras posições do buscador, com ordem de relevância para a palavra-chave pesquisada pelo usuário. Além disso, também pode exibir anúncios em forma de banners e vídeos em diversos sites parceiros do Google.
  • Social Ads: são os anúncios criados dentro das plataformas das redes sociais, como Facebook, Instagram e LinkedIn. Nelas é possível criar anúncios adaptados a diferentes formatos de conteúdo, além de garantir uma segmentação assertiva do público.
  • Rede de Display: conjunto de sites parceiros do Google que se associam para receber publicidade paga em suas páginas. A partir desse formato, é possível criar anúncios segmentados para alcançar pessoas enquanto elas navegam pelos vídeos do YouTube ou acessam apps no celular.
  • Mídia programática: mecânica de compra e venda de espaço para anúncios, que acontece através de plataformas digitais. Ou seja, é uma maneira automatizada para empresas encontrarem o melhor espaço para fazer um anúncio e atingir o público certo. 
  • PCC (Pagamento Por Clique): nessa categoria o anunciante é cobrado a partir dos cliques acumulados em seus anúncios.

A partir das plataformas de mídia paga, é possível determinar, com certo grau de especificação, quem vê seus anúncios, garantindo melhores resultados sobre o dinheiro investido nas campanhas.

7. Construa uma boa base de leads

Ao distribuir conteúdos úteis pela rede, você pode solicitar informações aos usuários interessados como um pré-requisito para acessarem o material. Vale para a assinatura de uma newsletter exclusiva, por exemplo, ou o download de um e-book gratuito.

Essas pessoas que demonstraram interesse e passaram seus dados, como nome e e-mail, são os leads: pontos de contato que podem, futuramente, se tornar clientes. Você deve então nutri-los por meio de estratégias como o e-mail marketing para encaminhá-los ao seu funil de vendas.

Construir uma boa base de leads é muito importante para atrair novos consumidores. Mas, mais do que isso, saber alimentá-los é essencial. Você pode fazer isso com a ajuda de ferramentas de marketing que podem otimizar esse processo.

Leia também: Data driven marketing: o que é e como aplicar na empresa

8. Dedique-se ao networking

Parte fundamental de compreender o mercado em que está inserido é procurar conhecer, também, os demais atores que participam dele. Networking é o nome que se dá à construção de uma rede de contatos que podem ser úteis para o fechamento de parcerias e a criação de autoridade no mercado.

Cursos, eventos, palestras e congressos são ótimos pontos de troca de contatos, mas o digital também oferece a oportunidade para que você alimente a rede de pessoas ao seu redor. 

Se sua empresa segue o modelo B2B, vendendo soluções para outras empresas, o LinkedIn pode ser uma ótima oportunidade para isso.

Somente no Brasil, a rede já ultrapassou o número de cinco milhões de usuários registrados. Ela promove entre eles a trocas de experiências sobre o mundo corporativo, incluindo temas como inteligência de vendas, relacionamento e como atrair clientes

Nesse contexto, uma ótima estratégia de marketing é a criação de um perfil pessoal dos gestores da empresa no LinkedIn. Esses perfis podem ser nutridos com publicações que envolvam sua marca nas discussões do momento da rede, promovendo a consciência de marca (brand awareness) enquanto expande sua rede de contatos.

Por consequência, novos possíveis clientes podem ser alcançados.

9. Invista em campanhas promocionais

Segundo o relatório Loyalty Barometer Report 2021, realizado anualmente pela Hello World/Merkle, 58% dos consumidores preferem receber ofertas e presentes em troca de estabelecerem um relacionamento com uma marca.

Investir em campanhas promocionais pode trazer um retorno significativo de novos clientes à empresa, uma vez que benefícios e vantagens como cupons de desconto e outras recompensas digitais incentivam consumidores a comprarem.

Algumas dessas ações podem estar ligadas a datas e eventos sazonais, como a Black Friday e a Cyber Monday. Mapeie quais períodos do ano são importantes para o mercado em que você está inserido e crie campanhas personalizadas.

Leia também: Passo a passo para criar um clube de vantagens

10. Eduque o público a respeito do produto ou serviço

Qualquer empresa pode se beneficiar de um público que se identifique com seus valores e reconheça o valor atrelado à sua marca, para além dos produtos ou serviços que ela vende.

O storytelling é uma estratégia atrelada ao marketing de conteúdo que pretende capturar a atenção por meio de técnicas narrativas (sim, as mesmas utilizadas para se criar histórias, filmes e roteiros). Mas como atrair clientes associando o storytelling ao negócio?

Para isso, é preciso entender o propósito da sua empresa e qual a melhor forma de comunicar isso para o público. Elaborando o posicionamento da marca no mercado, torna-se mais fácil transmitir isso em todas as mensagens.

Algumas táticas típicas desse modelo narrativo podem ajudar você a criar conteúdos envolventes, como:

  • elaboração de títulos criativos para vídeos, blogposts e outros materiais;
  • produção de conteúdos com estrutura de início, meio e fim;
  • uso de recursos visuais, como imagens, vídeos, infográficos, etc.

A ideia é conquistar o público e guiá-lo à conversão.

11. Pense em ações de RP não convencionais

Elabore estratégias de relações públicas que possam catapultar a visibilidade de sua marca perante ao público e até mesmo alcançar os veículos de mídia. Invista em ideias não convencionais, que saiam do lugar comum e tenham valor-notícia.

As lojas pop-up têm se destacado como uma ação interativa de sucesso entre empresas do varejo online e possíveis consumidores. Elas extrapolam o limite da internet e levam os produtos e a identidade da marca ao mundo físico, por meio de lojas temporárias em que as pessoas podem adquirir os itens instantaneamente.

Ações ligadas à responsabilidade social também têm chamado a atenção das pessoas em uma sociedade cada vez mais preocupada com os impactos do consumo no meio ambiente e no dia a dia. A Apple, por exemplo, emite um relatório anual destacando os esforços da empresa para se tornar mais sustentável.

Outra maneira diferente de promover sua marca é o fechamento de parcerias com outras empresas ou personalidades, como é o caso da Nubank, que não só contratou a cantora Anitta como porta-voz da empresa, como também a convidou para o conselho de administração. Recentemente, o banco Inter fez uma ação parecida com Ivete Sangalo.

exemplo-nubank-anitta
Anitta como nova integrante do conselho administrativo da Nubank


12. Elabore estratégias de marketing viral

Pense em como atrair clientes por meio de ações virais que alcancem o maior número de pessoas possível. A maior vantagem em conseguir criar conteúdos que viralizam é o custo, pois quem divulga o que você quer é o próprio público-alvo.

Para criar conteúdos virais é preciso estar antenado com as tendências, principalmente as oriundas das redes sociais. Procure entender o que o seu público mais gosta de consumir e use a criatividade para, por exemplo, pensar em vídeos ou ações diferentes no seu ponto de venda.

O TikTok, por exemplo, pode dar espaço para estratégias virais com foco no público jovem, como fez a Netflix com a campanha #tudumchallenge, que convidou usuários a dançarem ao som de um funk inspirado no conhecido efeito sonoro de abertura da plataforma (o “tudum”). A hashtag teve mais de 200 milhões de visualizações.


13. Trabalhe com SEO

O SEO (Search Engine Optimization) é uma série de estratégias aplicadas em conteúdos como artigos de blogs, páginas de website e vídeos no YouTube para ranqueá-los na primeira página de resultados do Google.

Segundo dados da StatCounter, o Google processa 92,17% das pesquisas a nível mundial, seguido pelo Bing da Microsoft (2,78%), Yahoo (1,6%), Baidu (0,92%), Yandex (0,85%) e DuckDuckGo (0,5%). 

Isso demonstra de forma muito clara como o Google domina o mercado em que atua e, por isso, está no centro das estratégias de marketing de conteúdo.

Por meio da investigação de palavras-chave interessantes para a marca, análise das páginas da concorrência e otimização de conteúdos com boas práticas de SEO, é possível fazer suas páginas aparecerem para mais pessoas.

Ferramentas como o SEMRush e o Google Search Console podem ajudar você a dar os primeiros passos para implementar essa estratégia em seu website.

14. Crie marketplaces

Alguns dos maiores representantes de negócios do modelo de marketplace são a Magalu e o Mercado Livre: plataformas de vendas de produtos online em que há, geralmente, uma ampla variedade de produtos ou serviços disponíveis para compra.

Por causa disso, os marketplaces chamam a atenção de um grande número de usuários, com diferentes necessidades e à procura das mais diversas soluções. 

Existem também os chamados marketplaces de nicho, onde é possível criar um modelo de negócio focado somente em roupas femininas, por exemplo, ou artigos esportivos. 

Ao contrário do que muitos acreditam, fechar o nicho de atuação pode tornar a empresa mais rentável, uma vez que fica mais fácil criar estratégias de comunicação personalizadas e segmentadas para o público interessado por aquele tipo de produto.

15. Trabalhe com marketing de influenciadores

O marketing de influência já se popularizou entre marcas do mundo todo. Por meio do alcance e da autoridade de influenciadores digitais, empresas podem promover seus produtos, serviços e a própria marca pelas redes sociais.

Embora as parcerias com influencers não sejam consideradas canais diretos de conversão, elas podem contribuir para a aquisição de novos clientes por meio da consciência de marca e da promoção de ações publicitárias

Um exemplo muito bacana de como elaborar uma estratégia por meio do marketing de influenciadores foi a campanha Conquistadores do next, do banco next. Eles selecionaram quatro criadores digitais cujas histórias se relacionam com o tema da conquista para associá-los aos serviços oferecidos pela companhia a seus clientes.

exemplo-marketing-de-influencia
Mari Ribeiro na campanha "Conquistadores do next"


“Nossa ideia foi evidenciar o next como um habilitador de conquistas, conectando histórias com produtos que acompanham a jornada de evolução dos nossos clientes”, conta o head de marketing da empresa, Paulo Aguiar.

A estratégia contou com um bate-papo entre os influenciadores pela plataforma Clubhouse, que se popularizou durante a pandemia da Covid-19, e outras ações espalhadas pelas demais redes.

16. Elabore campanhas member-get-member recompensadas

Já cogitou transformar seus clientes em promotores da sua marca?

Para isso, você pode oferecer vantagens ou recompensas àqueles consumidores que convidarem amigos para experimentar seu serviço, como muitas plataformas e apps já fazem (Uber, iFood, Rappi são três exemplos populares) por meio de códigos de cupons de desconto.

Essa estratégia é chamada de member-get-member (algo como usuário traz usuário, em inglês) e se dá por meio de uma relação ganha-ganha: os participantes recebem benefícios em forma de descontos na plataforma, enquanto a empresa passa a atrair mais clientes. Assim, cria-se um ciclo de vantagens para todos os lados.

É possível também criar campanhas member-get-member oferecendo recompensas aos usuários em troca de determinada ação. É o caso da Kwai que, a partir da campanha Kwai Golds, oferta dinheiro aos usuários que completam metas diárias no aplicativo, como assistir vídeos ou convidar amigos.

exemplo-campanha-member-get-member
Exemplo de ação member-get-member promovida pela Kwai


17. Construa valor para a marca

Se você chegou até aqui, já compreendeu que muitas das táticas sobre como atrair clientes têm a ver com a experiência das pessoas com a sua marca, e não só com as soluções que você oferece.

Isso porque, em um mercado tão competitivo e com tantas empresas disputando a atenção dos consumidores, eles procuram por aquelas que entreguem um diferencial — desde um valor agregado à experiência ao reconhecimento pela compra realizada.

Os programas de vantagens são ações que operam nesse sentido, recompensando clientes com benefícios que os motivem a continuar comprando em uma empresa. Dessa forma, eles a posicionam como uma marca que se preocupa com seus consumidores e está disposta a atribuir bônus em troca da fidelidade deles.

Uma pesquisa da SmarterHQ revelou que a tática de marketing favorita dos consumidores é receber descontos em produtos que desejam. Por isso, cupons de desconto são ótimos exemplos de recompensas para implementar nesses programas — assim como o cashback. Entenda mais sobre este benefício no tópico a seguir.

18. Ofereça cashback em recompensas

A psicologia comportamental ajuda a explicar por que táticas de recompensas são tão eficazes na hora de atrair clientes: elas os incentivam a interagir com a marca por reconhecê-la como customer-centric — ou seja, com foco total no cliente —, e se sentem contemplados por ela.

Por isso, fazer com que as pessoas se sintam felizes pelas compras que realizam é muito importante. Nesse contexto, o cashback surge como uma proposta de recompensa que dialoga com esse objetivo.

Ele consiste na devolução, em dinheiro, para o consumidor, de determinada porcentagem sobre a compra realizada. Assim, o cliente sente que parte do valor investido naquele produto ou serviço em questão será retornado a ele.

Se você deseja começar a implementar uma política de cashback em sua plataforma, procure por ferramentas digitais que te ajudem a criar uma estratégia do zero, como a Minu. A grande vantagem dessa estratégia é que o valor de face pago pelas marcas é menor do que o valor oferecido para o cliente — 35% para a maioria das recompensas.

A Minu promove ações de engajamento entre marcas e seus clientes, buscando agregar ainda mais valor aos produtos e serviços de uma empresa e reconhecer seus consumidores por meio de mecânicas como o cashback.

Leia também: Marketing de recompensas: fidelize e engaje clientes

Agora que você já conhece as principais táticas do marketing sobre como atrair clientes, está na hora de dar o próximo passo: entender a melhor forma de se relacionar com eles, garantindo sua retenção. 

Clique aqui para fazer o download gratuito do e-book “Marketing de relacionamento: guia completo para a retenção de clientes”, desenvolvido especialmente para marcas que desejam investir na relação com seus consumidores e aumentar sua receita.


Gostou deste artigo?
compartilhe com mais pessoas

Confira outros artigos

Voltar para o blog